Archive | Uncategorized RSS feed for this section

vai ser uma vez.

13 abr

Se todas as histórias de amor começam com “era uma vez” a minha com certeza começa com “quase foi um milhão de vezes”. E se quase foi amor, não foi. E se não foi, não se trata de uma história de amor, só de uma história.

Então se eu precisasse de uma introdução para o livro da minha vida eu diria que ela está pronta.

Quase foi amor com o garoto da loja de cd’s. Quase foi amor com o vizinho de cabelo enrolado. Quase foi amor com o menino tímido do meu primeiro beijo. Quase foi amor com o sem vergonha daquela faculdade. Quase foi amor com o melhor amigo da minha amiga de internet. Quase foi amor com o garoto da van. Quase foi amor um milhão de vezes, mas não foi.

E embora quase tenha sido amor, doeu como se realmente fosse. E eu entrei debaixo dos cobertores acreditando que realmente era. E talvez até hoje eu me pergunte o que foi aquilo senão amor. E logo depois despergunto, porque é impossível que tenha sido amor um milhão de vezes. Ninguém ama um milhão de vezes. Foi desilusão.

Ou não foi. Porque (des)ilusão é aquilo que não é ilusão. E o que não é ilusão é de verdade. E se quase foi de verdade, também era amor e nem desilusão. Era ilusão mesmo.

Era uma vez uma ilusão e duas e três e um milhão. E todos os des do mundo que eram possíveis de entrar para negar um sentimento. Era desilusão, era desamor, era desafeto, era descaso, era desespero. Era tudo isso, menos o que deveria ser.

Não teve pipoca, coca-cola, bala de goma, cinema, mãos dadas. Não teve passeio no parque, nem frescobol na praia, nem clube de jardinagem aos domingos. Não teve roda gigante porque era tudo montanha russa. Não teve tempo que curasse o amor porque ele não estava doente, ele só não existia.

Teve mentira e atraso. Teve lágrima, uma atrás da outra mesmo quando ainda parecia amor. Teve dor. Teve mágoa. Teve ilusão. Teve tanta repetição disso tudo que eu realmente me perguntei porque a gente demora tanto pra trombar com a pessoa certa. E pra cair em cima dela sem querer. E embolar os pés, as mãos, os corações. Porque que a gente atrasa a vida de tanta gente que também fica procurando o certo no lugar errado e machuca a gente. E se machuca. E se magoa. Porque não da pra simplesmente derrubar os livros no chão e esperar o cara da sua vida te ajudar a pegar? Porque não dá para ser uma vez?  Para a Cinderela, para a Branca de neve, para a Rapunzel, uma vez só foi o suficiente. E pra mim também ia ser. Ia ser uma vez incrível. Dessas com direito a aparecer em filme de romance e encher a cara de desilusão porque quem tem amor não precisa se iludir.

 

 

Sobre adormecer sonhos

20 mar

Tem uma fase da vida que a gente acha que toda reação precisa ser instantânea. Qualquer coisa que envolva “pensar antes de fazer” parece uma absoluta perda de tempo. O amor não pode esperar, a curiosidade não pode esperar, a vontade não pode esperar, os sonhos não podem esperar. Acho que o nome ideal para essa fase é  “adolescência”. E ela não tem uma duração cronológica correta. Para algumas pessoas dura a vida toda. Você pode ter trinta anos e nunca conseguir realmente ser um adulto. Ou pode se tornar um adulto antes mesmo de ser adolescente. Meu pai costumava dizer que pessoas que sofrem muito na vida crescem antes das outras. Ele dizia isso quando eu estava sendo imatura por algum motivo. Aliás, é aqui que eu queria chegar: maturidade não tem tanto a ver com adolescência.

Esses dia, enquanto lia um livro, que na verdade eu considero um manual de instruções para sobreviver a adolescência, (As vantagens de ser invisível) eu percebi que existe um grande muro que divide o que a gente é quando adolescente e o que a gente se torna quando é adulto. E tudo gira em torno de sonhos.

Minha vida sempre foi dividida em sonhos úteis e sonhos inúteis. Chamo de sonhos inúteis os que podem ser realizados em qualquer fase da vida, até eu fazer noventa anos, caso chegue lá. E os sonhos úteis são aqueles que mudam nossa vida para sempre e tem prazo de validade. Um sonho inútil por exemplo é abraçar um elefante. Ou então, conhecer um popstar. 

Durante toda minha adolescência eu tive certeza que queria ser atriz. E fui contra todas as pessoas que diziam que isso era impossível. E afastei todos os amigos que não me apoiavam com isso. E exclui quase permanentemente a possibilidade de relacionamentos antes de realizar meu objetivo. Isso é um sonho útil. E fui atrás, e trabalhei, e juntei dinheiro, e fiz cursos, e me aventurei, e deixei meus pais malucos. E continuei fazendo isso, com a certeza de que nunca ia desistir. Fui ignorando as dificuldades e tudo que dava errado. Fui ignorando as pessoas e suas opiniões sem importância. Ignorei tudo até que não consegui ignorar a mim mesma.

O que divide um adulto de um não adulto, é a capacidade de adormecer sonhos. Você começa a pesar as possibilidades e se importar com coisas que antes não se importava, como por exemplo trabalhar para um dia poder se aposentar.

Você percebe que seus pais não merecem te sustentar a vida toda, e que talvez o seu caminho esteja mesmo errado. Talvez as pessoas chamem de “sonho” porque uma hora você precisa acordar e viver a realidade.

E perceber isso, não é dar a si mesmo um atestado de infelicidade. É convencer a si mesmo que existem outras formas de ser feliz.

É mais doloroso no começo, abstrair-se de suas próprias convicções. Aquelas que você com um discurso inflamado, vomitou na cara de todo mundo que tentou te parar. Mas com o tempo você vai adormecendo o sonho, como se fosse um bebê agitado numa madrugada de terça-feira. E quando ele finalmente dorme você relaxa.

E pode continuar vivendo e descobrindo significados em outras coisas, onde normalmente você não conseguia ver. E abre espaço para novos sonhos úteis ou inúteis. E para novas pessoas. E para um novo você.

 

E foi assim que eu me impus alguns limites..

27 fev

Num dia desses normais, onde parece que não está frio nem calor e as pessoas arrastam as vidas como se elas não fossem importantes que eu comecei a perceber algumas coisas que deveria interromper.

Foi assim, observando pessoas que repetiam constantemente os mesmos erros da forma mais inocente que existe no mundo, que eu fui me dando toques de quando seria a hora de parar.

Bem assim mesmo, numa de me preocupar mais com o que está acontecendo na vida dos outros do que na minha que eu fui anotando mentalmente cada erro que as pessoas cometiam. Eu fui filtrando da melhor maneira que pude o que eu considerava erro de acordo com uma única regra: só era erro se fazia mal.

E descobri tantas coisas que pareciam fazer bem, mas na verdade sugavam a vida das pessoas, que me assustei. Mais do que isso, eu me identifiquei várias vezes com muitos erros mascarados por aquilo que as pessoas costumam chamar de amor (mas não é).

Eu fui separando um por um os vilões de todas as vidas que eu conhecia até perceber que   sempre chegava o momento onde os vilões eram as próprias pessoas. Gente confusa, insegura e cega. Gente que simplesmente não soube parar na hora certa.

E se excedeu. Transbordou o coração no lugar errado e deixou vazar todas as coisas boas para pessoas que não fizeram uso delas. E então encheram o próprio coração daquilo que aparece quando a gente dá muito de nós e não recebe nada. A mágoa. Ou pior, ficaram vazias.

Então eu me impus alguns limites pra evitar de transbordar por aí. Decidi ficar na zona de conforto. No meio cheio ou meio vazio. Na sanidade. No respeito comigo mesma. E parei de me permitir ser invadida pelo tipo de coisa que não é, nem nunca foi amor.

Natal: tempo de brechós!

12 dez

Amo Natal.

Acho que é a época do ano que mais gosto. Muitas luzes, decoração, enfeites..parece que tudo fica mais bonito.

E é época também de muitos brechós aparecerem por aí. Garimpando, achamos peças novas, bonitas e que na loja custariam o triplo do preço.

A maioria dos brechós são beneficentes e se concentram em igrejas de qualquer crença. Por isso, os preços não podem ser tão elevados.

Essa semana fui em um e fiquei realmente :O com as coisas que achei. Tive que tirar muitas fotos pra mostrar que qualidade, marca e preços baixos, podem ser encontrados em um só lugar.

Como ensinou minha vó: para ver se a peça é nova, basta olhar a etiqueta. E foi o que fiz. Etiquetas novinhas, sem o desgaste da lavagem. Pena que dessas peças que fotografei, não consegui comprar nenhuma: todas eram muito grandes pra mim ¬¬

De qualquer forma, fotografei a etiqueta (marca+produto novo) e a tag com o preço.

Sintam (e relevem por serem fotos de celular) :
   apenas um pedaço do bazar (confesso que fiquei constrangida de ficar fotografando haha)

 

 

 

 

 

 

Calça da Zara: R$ 2,00       

 

 Calça da Zapping: R$ 2,00        

Calça da Khelf: R$ 2,00

                                                                                    

 Malha da EuroDisney: R$ 4,00 

   Blusinha da Luigi Bertolli: R$ 4,00

Short da Cori: R$ 2,00

Calça da M. Officer: R$ 4,00

Calça da Levi’s: R$ 1,00

Calça da Hering: R$ 3,00

Calça da M. Officer : R$4,00

Calça da Mercearia: R$ 3,00

Enfim..vocês viram que com tempo e paci~encia dá pra encontrar MUITA coisa boa e barata. Depois é só lavar pra tirar a poeira e pronto.

Não sei se vai dar pra enxergar..mas com menos de R$10,00 eu trouxe:

 um casaco preto

 um casaquinho jeans verde

 uma blusa da Luigi Bertolli

Muitos artistas sempre dizem que garimpam lugares assim e sempre encontram peças que queriam, mas não achavam no mercado.

Até uns dias antes do natal, esses bazares funcionam e sempre recebem coisas novas. Ou seja, se tiver um pouco de tempo, vale passar todos os dias e olhar o que chegou. Sempre aparece algo que interessa.

Toy Story: Férias no Havaí (Hawaiian Vacation)

1 jul

Ontem foi o aniversário de 80 anos da minha vó.E, para comemorar durante o dia, eu e meu irmão a levamos para assistir Carros 2 em 3D.

O segundo filme tem como foco o Tow Mater e toda sua ‘’caipirice’’ sendo destacada e provando que subestimar as pessoas é um dos principais erros do ser-humano.

Mas, antes de começar o filme, depois dos trailers, fui surpreendida com o primeiro curta do Toy Story.

Desde que eu tinha 9 anos (quando foi lançado o primeiro filme- Deus, tô velha), sou super apaixonada por esses bonequinhos. Não canso de assistir a trilogia e sim, chorei muito no final do terceiro filme.

O curta é sobre a Barbie e o Ken, que acreditam que irão viajar com Bonnie para o Havaí, agora que ela está em férias escolares. Só que eles descobrem que ela não levou a mochila em que estavam. Tudo já estava super planejado para férias perfeitas e românticas.Aí que Woody, Buzz e todos os brinquedos do quarto, entram em ação para fazer daquele sonho, uma realidade.

Achei uma graça e espero que saia logo em algum outro dvd de curtas da Pixar.

Eu comprei, há uns meses, o Volume 1  dos curtas. São 13 episódios e  alguns bônus.

Pra quem se diverte e ama as animações da Pixar, vale à pena comprar também.

Na internet ainda não existe o curta completo do Toy Story, só um clipe:

Pra que ficou curioso e quer saber o final, vá assistir Carros 2 e aproveite o bônus de Toy Story enquanto o possível  4º filme não é lançado

Paty

Bora cuidar da pele?!

27 jun

E quem nunca teve uma espinha na vida que atire o seu sabonete anti-acne! E não me venha com essa de que tem pele de pêssego, porque na boa, pelo menos UMA vez na vida eu tenho certeza que a sua linda pele aveludada te deixou na mão!

Vou falar a verdade, a minha pele nunca foi lá essas coisas. Sempre tive espinha e cravo, nada medonho, mas sempre tive e no auge dos meus 20 anos, ainda tenho (pausa dramática). Tenho marcas de espinhas espremidas e de cravos mal tirados, mas com maquiagem tudo fica imperceptível (um salve para o grande inventor da make). Mas essas marcas me incomodam, e MUITO.

A única vez na vida que eu tive uma pele perfeita foi quando eu tinha uns 16 anos e resolvi ir à dermatologista. Lá ela me disse que a minha acne era grau 1, me receitou um creme com ácido e alguns sabonetes. E assim, foi tipo mágica, a minha pele virou tudo o que eu sempre quis. Maaaaaaaas, como uma boa menina preguiçosa que eu sou, quando os meus cremes acabaram, eu parei com tudo hehehe Como eu passava ácido, eu tinha que ter um cuidado do cão com a minha pele, lavar sempre e passar protetor solar três vezes ao dia, e isso me dava uma preguiça…. HAHAHA Enfim, os cremes acabam e eu não voltei para o consultório e tudo claro, voltou a ser como era antes  :/

Mas eu vim aqui pra dar uma super dica quanto a isso. Lembro que quando eu tinha uns 12 anos vi um creme na penteadeira e percebi que a minha irmã passava no rosto toda a noite, e eu como uma irmã mais nova bem da petelha fui lá e comecei a passar o creme dela (que no final acabou e ela ficou bem brava comigo) E por fim, foi ai que eu descobri a linha Clean Clear.

Hoje 8 anos depois (ai que velha) eu comecei a passar o creme novamente. Na verdade eu uso três produtos.

Sabonete Facial em barra para uso diário

Adstringente Anti-Cravos

Hidratante Anti-Acne

Basicamente, eu uso nessa seqüência mesmo, o meu processo com esses produtos é assim: Toda noite eu lavo meu rosto com o sabonete, enxugo o mesmo e limpo a minha pele com um algodão molhado com o adstringente e depois passo o creme. Logo cedo quando que eu levanto, lavo novamente o rosto com o sabonete para tirar o creme e depois disso passo o protetor solar.

(Sim, eu sei que é chato passar protetor solar, até porque você tem que repetir o procedimento mais de uma vez ao dia, mas vale muito a pena! Então, nada de preguiça!)

Olha meninas, faz uma semana que eu estou fazendo isso, e eu juro já fez uma baita diferença!  É claro que a minha pele não virou uma bundinha de neném, mas a aparência melhorou bastante, sumiram algumas manchas e a acne diminuiu, e isso porque só faz uma semana que eu estou usando os produtos.

O que vale deixar BEM CLARO aqui é que não se pode sair por ai passando qualquer coisa na pele. Esses produtos além de serem conhecidos, tem uma qualidade incrível, mas é recomendável que você procure um dermatologista antes.  Até porque a acne é dividida por grau e dependendo do seu, o seu tratamento é mais sério e você tem que procurar um profissional. Veja aqui www.borbulhas.com/graus.html Então, informe-se antes e cuidado!

Bom meninas, essa é minha dica. Estou apaixonada pelo meu creme e mais ainda pelos resultados, vamos ver daqui a um mês como vai estar minha pele. Super recomendo MESMO.

Beijos, Babbi.

 

 

SPFW

18 jun